Com a tecnologia de portaria remota avançando cada vez mais, essa solução acaba por se tornar uma opção ainda mais interessante. Pois ela vem nos mostrando que sim, é possível proporcionar segurança mesmo à distância, tudo isso com uma pitada de economia para as centrais de monitoramento.

Porém, mesmo com esse modelo de solução ganhando força, ainda existem inúmeras dúvidas sobre o tema, e a dúvida mais frequente é como implantar um sistema de portaria remota. Por isso, nesse artigo vamos explicar como implantar uma portaria remota, o que é necessário e muito mais.

O primeiro ponto a se considerar é a respeito da estrutura ou cenário que será aplicada a portaria remota, como a quantidade de apartamentos, se todos os interfones estão funcionando, se há a possibilidade de construir uma eclusa, se as manutenções estão em dia em itens de segurança como centrais de alarme, fechaduras e sensores, se existe câmeras de segurança instala e se estão corretamente instaladas, entre outros pontos.

É primordial que todos os itens básicos de segurança estejam funcionando perfeitamente, pois são os hardwares de segurança como interfones, câmeras, sensores e fechaduras que permitirão que a gestão de acesso seja feita de forma eficiente. Outro fator importante, e que auxilia muito na segurança do controle de acesso são as eclusas ou clausuras.

Modelos de acesso com eclusas são compostos por uma sequência de dois portões ou portas, que evita a entrada de pessoas indesejadas. Pois por mais que entre em uma porta/portão ainda tem que esperar a liberação da próxima, e enquanto essas liberações são feitas a pessoa permanece fora do local, podendo ser observada através das câmeras de segurança.

Com isso, os equipamentos que não podem faltar na implantação de uma portaria remota, são:

  • Interfones e Porteiros eletrônicos (Comunicação interna e externa);
  • Controle de acesso (Chaveiros de proximidade, biometria e relatórios dos acessos);
  • Câmeras de segurança (Acessos, garagens, áreas comuns, áreas externas);
  • Alarme e proteção perimetral (Cercas eletrificadas e sensores de barreira);
  • DVR’s ou NVR’s;
  • Detecção e alarme de incêndio (Preservação do patrimônio);
  • Iluminação de emergência e placas de sinalização;
  • Sensores de iluminação (Interruptores de presença);
  • Motores para abertura e fechamento portões;
  • Dispositivos de liberação do tipo tags e RFID’s;
  • Fechaduras eletroímãs e Fechaduras digitais;
  • Software de gestão para centrais de monitoramento;
  • Aplicativo para os usuários finais, onde ele possa armar e desarmar remotamente o alarme, acessar as câmeras de segurança, realizar automações e muito mais.

Automatizar o controle de acesso através do uso de softwares é a maneira mais segura e prática. As anotações na folha de papel já estão ultrapassadas, aliás, deixa muito a desejar, até porque para ter total controle de entrada e saída, quem liberou, e tudo mais, é necessário de um software para isso.

Por fim, um último ponto que merece atenção é a energia, já que as portarias remotas são totalmente dependentes da energia elétrica. Para não acontecer imprevisto de haver uma queda de luz e interromper ou falhar o sistema, é importante implementar um gerador de energia e nobreaks.

Agora que você já sabe o que está incluso na implantação de uma portaria remota, quais equipamentos são necessários e quais mudanças serão necessárias, faça contato conosco. Pois temos todas as tecnologias necessárias para você implantar serviços de controle de acesso, portaria remota, híbrida e autônoma, além de serviços como zeladoria virtual.